Microsoft vs FTC – Dia 4: Satya Nadella, Bobby Kotick e mais revelações

Microsoft vs FTC – Dia 4: Satya Nadella, Bobby Kotick e mais revelações

0 comentário 12,2K visualizações

Mais uma vez, o processo movido pela FTC contra a Microsoft trouxe à tona mais um punhado de informações confidenciais. Além de esclarecer como os CEOs da Activision e da Microsoft se sentem em relação ao setor de jogos.

Divisão de Games da Microsoft é quase uma empresa a parte.

Embora seja justo equiparar o negócio do Xbox ao ambiente geral da empresa Microsoft. Entretanto, de acordo com o diretor do Xbox, Phil Spencer. A divisão de jogos funciona quase independente dentro da Microsoft. Posição reiterada várias vezes durante seu testemunho no terceiro dia. Ou seja, a divisão de games da Microsoft funciona como o Google dentro da Alphabet.

Satya Nadella depõe.

Dito isso, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, depôs no 4º dia de audiência. A fim de expressar sua aversão ao paradigma da exclusividade no setor de jogos. Depois de confirmar várias divulgações da SEC sobre o desempenho da divisão Xbox para a empresa.

Os advogados da FTC atacaram Nadella e analisaram uma série de divulgações financeiras em relação aos resultados financeiros do Xbox em 2022. Neste sentido, analizou casos onde a divisão de jogos excedeu as métricas de desempenho e ultrapassou em 2021 o PlayStation 5 nas vendas de consoles.

Microsoft previa internamente vendas menores do Xbox.

Enquanto a FTC tentava pintar o sucesso relativo da Microsoft como precursor de um argumento sobre o domínio do mercado. Nadella foi rápido em apontar que as metas excedentes do Xbox foram comparadas a projeções internas relativamente baixas da empresa, uma espécie de “sandbagging”.

Depois de questionar o chefe do Xbox por um dia inteiro. Previsivelmente o questionamento de Nadella foi em direção ao seu ponto forte, os serviços em nuvem. Anteriormente a FTC apresentou um documento afirmando que a Microsoft “continua a liderar o mercado de jogos em nuvem de rápido crescimento”.

Jogos em nuvem ainda não produziram resultados como a Microsoft esperava.

Nadella, que continua a empurrar a Microsoft para o lucrativo setor de serviços em nuvem. Entretanto, continua otimista em relação à computação em nuvem. Logo após teve que admitir que sua ambição em relação aos jogos em nuvem não produziu os resultados previstos.

Não penso nisso como um substituto estrito do console. Quero dizer, pelo menos o feedback do mercado até o momento tem sido que as pessoas adoram seus consoles, adoram seus PCs, adoram seus telefones e usam os jogos na nuvem como um complemento.

Nadella também passou seu tempo sendo questionado para ajudar a esclarecer o que os jogos em nuvem poderiam significar no futuro e, ao mesmo tempo, definir o que eles significam na prática para os jogadores de hoje. Embora a referência mais comum seja o streaming na nuvem, Nadella afirma:

Só para ter certeza de que está claro. Sempre que penso na nuvem no contexto dos pilares do Xbox de conteúdo, nuvem e comunidade, o Xbox Live faz parte da nuvem. Portanto, mesmo quando pensamos em um console ou em um PC, a nuvem é, na verdade, parte integrante da experiência. Portanto, não se trata apenas de streaming quando penso na nuvem.

Nadella gostaria de acabar com exclusividade nos consoles.

Quando questionado pelos advogados da Microsoft, Nadella admitiu:

Adoraria se livrar de todo o negócio de exclusividades nos consoles

Entretanto, reconheceu que a Microsoft é uma empresa de baixa participação em um mercado definido pelo sucesso da Sony.

Satya Nadella afirma que Call of Duty não será exclusivo do Xbox

Nadella também aproveitou o momento para declarar mais uma vez a posição oficial da Microsoft de manter o Call of Duty na plataforma PlayStation e não torná-lo um exclusivo do Xbox. Tanto o diretor do Xbox quanto o CEO da Microsoft se comprometeram com o argumento de que Call of Duty continuará sendo um jogo multiplataforma em um futuro próximo, “100%”.

CEO da Activision é contra serviços de assinatura.

Antes de Nadella depor, o CEO da Activision Blizzard, Bobby Kotick, passou um tempo no banco dos réus, reafirmando principalmente informações conhecidas, mas falou sobre sua aversão pessoal aos serviços de assinatura e, como CEO, não tem planos de oferecer licenças de jogos da Activision a nenhum serviço de assinatura se o acordo com a Microsoft fracassar.

Tenho uma aversão geral à ideia de serviços de assinatura de vários jogos.

Após questionamentos intermináveis do contencioso da FTC. Kotick reconheceu que pode haver um pequeno benefício em oferecer conteúdo para serviços de assinatura de jogos por um tempo limitado. Como a Activision Blizzard tem a intenção de oferecer seus jogos para serviços de assinatura. Sendo assim um argumento anterior usado pelo órgão de Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido foi jogado pela janela. Pois acreditava que ao bloquear a aquisição da Microsoft forçaria a Activision a fornecer sua própria infraestrutura de licenciamento. Afim de dar suporte a serviços de streaming futuros.

Kotick confirmou que, se ele se afastasse do acordo com a Microsoft, os negócios continuariam como atualmente, em que a Activision pode forçar a Microsoft a criar acordos paralelos de compartilhamento de receita, limitar seu acesso a outras plataformas e manter seu acordo de exclusividade de marketing com o PlayStation.

Call of Duty pode aparecer em console futuro da Nintendo.

A linha de questionamento de Kotick terminou com o tópico de colocar o Call of Duty no próximo console da Nintendo. Surpreendentemente a FTC orientou o CEO da Activision a “considerar” isso se a editora tivesse as especificações.

Juiz questiona motivo de CoD não estar presente nos consoles da Nintendo.

A Activision Blizzard ficou famosa por não ter lançado Call of Duty para o Switch. Com o intuito de obter mais informações a juíza Corley questionou por que a empresa ainda não o tinha feito para o Switch. Kotick não deu uma resposta direta à pergunta da juíza, mas mais uma vez reiterou que, se pudesse ser feito, e bem feito, a Activision poderia considerá-lo, mas atualmente não tem planos de trazer CoD para a plataforma da Nintendo.

Especialista de economista da Microsoft depõe mais uma vez.

O quarto dia terminou com mais um testemunho de especialista de economista da Microsoft, Dra. Elizabeth Bailey, que ajudou a definir a posição da Nintendo na competição entre os consoles.

Bailey usou o raciocínio mais amplo, porém mais direto, que explica que as plataformas da Nintendo competem pela atenção e pelo dinheiro dos jogadores tanto quanto os consoles ou PCs. Os argumentos de Bailey não foram tão bem aceitos quanto os de outras testemunhas anteriores da Microsoft, com a FTC encontrando lacunas em sua lógica e em seus resultados. No entanto, de qualquer forma que os dados de Bailey tenham sido cortados, a Microsoft ficou em último lugar em termos de jogos, distribuição e suporte.

Acordo de marketing exclusivo da Activision com a Sony acirraram os ânimos.

O dia terminou com uma troca de calor entre a FTC e outro especialista da Microsoft, chamado Dr. Dennis Carlton, que foi chamado para testemunhar sobre o investimento da Sony com o acordo com a Activision que estava sendo esmagado.

Os advogados da FTC apresentaram citações que incluíam o The Verge sobre o acordo da Microsoft com a NVIDIA, bem como se os jogadores se tornarão automaticamente jogadores de Xbox se o acordo for fechado ou se eles migrarão para outras plataformas, como a Nintendo ou jogos de PC, o que destacou falhas nos modelos de ações do Dr. Lees apresentados no dia anterior.

Depois de algumas intensas discussões, a juíza Corley esperou que o tribunal esclarecesse algumas coisas e encerrou o dia.

Microsoft e Sony revelaram informações bombásticas em documentos.

Além de todo o drama verbal da sala de audiências, os observadores também tiveram acesso a algumas informações mal redigidas da Microsoft e da Sony que revelaram a lista de alvos de aquisição da Microsoft, bem como os orçamentos de desenvolvimento de alguns dos títulos de maior bilheteria da PlayStation.

Microsoft considerou adquirir a SEGA entre outras desenvolvedoras.

Entre as aquisições consideradas pela Microsoft estão a SEGA, a Bungie, a Hello Games, a Team Cherry, a Moon Studios e a Striking Distance Studios, para citar algumas.

Sony ganhou 1,5 Bilhão de dolares com CoD.

No lado do PlayStation, ficamos sabendo que Horizon Forbidden West custou US$ 212 milhões para ser desenvolvido ao longo de cinco anos com uma equipe de 300 funcionários, enquanto The Last of US 2 ultrapassou US$ 220 milhões com uma equipe de 200 funcionários. Também descobrimos o quão lucrativa tem sido a aliança de Call of Duty entre a Sony e a Activision, com quase um milhão de jogadores de PlayStation dedicando seu tempo especificamente ao jogo e o título produzindo US$ 800 milhões em receita para o PlayStation em 2021 apenas nos EUA, enquanto globalmente representa US$ 1,5 bilhão.

Dia 5 será o ultimo dia de depoimentos orais.

29 de junho de 2023 marca o último dia para argumentos orais com o CFO do Xbox, Tim Stuart, a CFO da Microsoft, Amy Hood (escrito) e o SVP de relações com desenvolvedores da Nintendo (vídeo), levando ao último dia do julgamento na sexta-feira, 30 de junho de 2023, onde a juíza Corley fará uma determinação após fazer suas próprias perguntas.

Deixe um Comentário

Sobre nós

O Cara do TI é um projeto voltado ao compartilhamento de notícias, resolução de problemas, reviews, games, filmes e tudo o que envolve o mundo da tecnologia.

Newsletter

Subscribe my Newsletter for new blog posts, tips & new photos. Let's stay updated!

© Copyright 2023 O Cara do TI® | Todos os direitos reservados

O Cara do TI
-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00

Adblock Detected

Por favor, nos apoie desativando sua extensão AdBlocker de seus navegadores para nosso site. Nosso site depende das propagandas para se manter vivo. Contamos com sua colaboração