Microsoft vs FTC – Dia 3: CEO da Playstation, testemunha.

Microsoft vs FTC – Dia 3: CEO da Playstation, testemunha.

0 comentário 9,3K visualizações

A Microsoft e a Comissão Federal de Comércio dos EUA entraram em seu terceiro dia no tribunal sobre o acordo multibilionário com a Activision. Entre as testemunhas, economistas especializados, vários depoimentos em vídeo, incluindo o do CEO da PlayStation, Jim Ryan, e a questão persistente da definição do mercado de jogos de console.

Saiba mais sobre o que aconteceu no dia 2 da batalha judicial Microsoft vs FTC que interessa a equipe do Playstation.

O terceiro dia do julgamento da liminar preliminar FTC vs. Microsoft foi outra sessão impactante. No qual, o público obteve um pouco mais de informações sobre a análise de mercado. As preocupações de Ryan com os exclusivos de console e os acordos feitos para prejudicar os concorrentes no mercado. O dia começou com uma rápida mudança no depoimento das testemunhas. A vice-presidente de desenvolvimento de negócios de jogos e Xbox da Microsoft, Lori Wright, teria permissão para usar declarações anteriores registradas no depoimento durante o julgamento de Apple vs. Epic, no que se refere ao caso atual.

Nintendo Switch é o concorrente real do Xbox não o Playstation.

Inesperadamente o testemunho de Lori se concentrou em definir a Nintendo e, particularmente, o console Switch como concorrente do Xbox e, posteriormente, do PlayStation, uma definição que ainda não foi apresentada nos últimos três dias.

Lori é a unica executiva a testemunhar presencialmente.

Visto que, Lori foi escalada como a única executiva de qualquer empresa de jogos a depor no terceiro dia. Sendo que todos os outros executivos prestaram depoimentos em vídeo.

Jim Ryan fala sobre PS6, exclusivos da Sony, Nintendo, jogos FPS e mais.

Posteriormente ao depoimento de Lori, Ryan falou, durante 70 minutos. Sobretudo os jogos de tiro em primeira pessoa que estão se saindo melhor nos EUA para o Xbox. Sua própria categorização da Nintendo no mercado. Os benefícios dos exclusivos de terceiros para a Sony. As preocupações da empresa se a Microsoft estiver envolvida no desenvolvimento do PS6 e muito mais.

Entre os itens mais interessantes que Ryan mencionou durante seu depoimento em vídeo. A ideia de que ele não tinha “fundamentalmente” nenhuma discussão sobre a Microsoft tornar Redfall e Starfield exclusivos. Curiosamente, sua afirmação aparentemente nega um dia inteiro de perguntas da FTC à vice-presidente do Xbox, Sarah Bond, sobre a potencialidade de danos da empresa com base em sua recente aquisição da Bethesda. De acordo com Ryan, “não gosto disso, mas não vejo como algo anticompetitivo”. Com relação a tornar Starfield exclusivo depois que a Microsoft comprou a Bethesda.

Ryan alega que email de Phil Spencer causou preocupação na Sony.

A princípio Ryan e companhia não se preocuparam com a proposta de aquisição da Activision pela Microsoft até 26 de agosto de 2022. Ao passo que, um e-mail do chefe do Xbox, Phil Spencer, foi enviado ao executivo que “realmente fez soar o alarme”. No entanto, a Microsoft argumenta que Ryan não expressou o mesmo nível de preocupação durante uma reunião subsequente em janeiro de 2023. Pelo contrário, reuniu-se com os órgãos reguladores do Reino Unido mais tarde para discutir um bloqueio total da aquisição, em vez de tentar negociar os seus termos.

Ryan diz a CEO da Activision que aquisição era anticompetitiva.

Ryan também admite detalhes sobre uma reunião em fevereiro entre ele e o CEO da Activision, Bobby Kotick, na qual ele disse: “Disse a ele [Bobby Kotick] que achava que a transação era anticompetitiva e que esperava que os órgãos reguladores fizessem seu trabalho e a bloqueassem”.

Sony queria fracasso da negociação para marketing exclusivo com Actvision

A declaração de Ryan foi em relação às discussões que Kotick e ele tiveram sobre um novo acordo entre a Activision e a Sony que estenderia seus termos de marketing exclusivo se o acordo com a Microsoft fracassasse.

CEO da Playstation enviou email descartando preocupações sobre aquisição da Microsoft

E-mail de Ryan para o ex-CEO da Sony Computer Entertainment (SCE), Chris Deering, em que Ryan descarta as preocupações com a exclusividade por temer a ambição da Microsoft em relação aos dispositivos móveis.

Não se trata, de forma alguma, de uma jogada de exclusividade do Xbox. Eles estão pensando mais alto do que isso e têm dinheiro para fazer movimentos como esse. Passei um bom tempo com Phil [Spencer] e Bobby [Kotick] nos últimos dias e tenho certeza de que continuaremos a ver Call of Duty no PlayStation por muitos anos.

Microsoft vs Playstation, Ryan confirma que Microsoft está preocupada com mobile.

A outra parte dessa comunicação por e-mail é Deering confirmando que nenhum dos executivos parecia preocupado com o Call of Duty naquele momento, e Deering concordou que “esse acordo consolidaria a Microsoft como uma empresa de jogos para celular. Parece-me mais uma jogada de rei do que Call of Duty”.

Depoimento de Ryan vai contra CMA.

Por fim, para encerrar seu testemunho, Ryan ofereceu outra confissão que esvazia o argumento da FTC. Posto que, ele também afirma que não vê os jogos em nuvem como algo “significativo” até pelo menos 2025. Em outras palavras, vai contra o caso da Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido para bloquear a fusão no país. A linha do tempo de Ryan aparentemente se baseia no cronograma de desenvolvimento da Sony. Conforme, seus próprios esforços de jogos em nuvem, que se situam em torno de 3 milhões de assinantes do PlayStation Now.

Eu diria que a tecnologia de nuvem se tornará um componente significativo da forma como os jogadores acessam os jogos entre 2025 e 2035. Estamos fazendo investimentos significativos em nuvem na expectativa de que ela se torne uma forma muito significativa de como os jogadores acessam o conteúdo dos jogos.

Especialista da FTC Dr. Robin Lee depõe

Durante seu depoimento em vídeo, Lee previsivelmente concorda com a definição da FTC de que o mercado de consoles consiste em. Um setor de “alto desempenho”, no qual residem o Xbox Series X/S e o PlayStation 5 da Sony. E um mercado mais amplo para outros que incluem o Nintendo Switch.

Advogada da Microsoft questiona base de dados de Lee.

A advogada da Microsoft, Beth Wilkinson, questionou Lee sobre vários tópicos. Entretanto, dedicou um tempo significativo a seus modelos usados para criar o relatório que a FTC usa em sua acusação. Apesar de compartilhar seus modelos de compartilhamento com a FTC. Como resultado, mostraram que a Microsoft aumentou sua participação no mercado de usuários em 8,9% com base na exclusividade do CoD em sua plataforma. Sendo assim, Wilkinson apontou que os modelos de Lee estão pegando dados de consoles mais antigos e aplicando-os a novos consoles.

FTC usa dados de geração anterior dos consoles como embasamento.

Os modelos de participação no caso da FTC foram criados para medir o mercado norte-americano geral de vendas de consoles da geração 8. Que inclui o Xbox One e o PS4. Portanto, aplicar esses dados para prever qual seria o resultado se eles fossem removidos do PS4 como resultado da exclusividade. O ponto em que Wilkinson aponta falhas no modelo é a falta de suporte para a taxa de conversão nem sua capacidade de previsão em relação ao acesso atual a jogos em nuvem ou à mudança de biblioteca de jogos.

CoD exclusivo pode tornar a aquisição deficitária para a Microsoft.

Lee e Wilkinson apresentam outro modelo chamado Foreclosure, que mede as vendas globais da 9ª geração de consoles. Por conseqüência inclui o Xbox Series X/S e o PS5, para prever futuras taxas de conversão. A taxa de Foreclosure de Lee previu uma taxa de conversão de 20% de usuários do PS5 para o Xbox se CoD se tornasse exclusivo. Houve um pouco de consternação entre Lee e Wilkinson em relação a um limite de 15%, o que significaria que a Microsoft teria um retorno negativo sobre o investimento para a empresa e, portanto, incentivaria a equipe do Xbox a manter o CoD no PlayStation apenas para se manter financeiramente solvente.

Especialista da FTC age como advogado do Playstation

Durante o questionamento sobre a exclusividade e os modelos de conversão da Microsoft, Lee inadvertidamente tocou nas preocupações da Sony com os jogos em nuvem mais do que com a distribuição de consoles, mas também destacou a proposta de valor que o pacote de CoD no Game Pass apresentaria aos clientes do PlayStation. Embora Lee não tenha um modelo para market share ou conversões para jogos em nuvem ou assinaturas, ele reconheceu que a Microsoft pode estar tentando obter exclusividade de assinatura em vez de distribuição de console.

Pelo que sei, para consoles, a [Microsoft] recomendou a não exclusividade, mas para serviços de assinatura, recomendou a exclusividade.

Sony deve se preocupar com exclusividade no Game Pass contra PS Now

A declaração de Lee reforça ainda mais a crença de Ryan. Ou seja de que a Sony não deveria se preocupar tanto com a distribuição de futuros jogos CoD para a plataforma PlayStation. Como resultado, deveria se preocupar com o fato de que a Microsoft, ao incluir FPS no Game Pass, prejudicaria o atual modelo de lucro de US$ 70 por jogo da Sony.

Lee encerra seu depoimento com uma discussão sobre jogos em nuvem e o efeito que o acordo da Microsoft e da Activision teria sobre o setor em crescimento.

O papel dos participantes menores pode ser maior do que em outros mercados maduros porque, se eles não puderem ter acesso ao conteúdo, os danos causados pela exclusão poderão ser ampliados no futuro

Concessões da CMA incluem licença gratuita para provedores de nuvem.

Embora o argumento de Lee seja semelhante à decisão da CMA do Reino Unido de bloquear o acordo. A UE e a Microsoft fizeram concessões muito específicas para tratar do futuro dos jogos em nuvem. Neste sentido, incluem uma licença gratuita para os consumidores da UE transmitirem a partir de qualquer serviço de jogos em nuvem de sua escolha. A Microsoft também terá que oferecer uma licença gratuita para que os provedores de nuvem transmitam os jogos da Activision nos mercados da UE, permitindo que os jogadores basicamente levem seus títulos da Activision para todas as plataformas.

Chefe da GeForce Now testemunha.

O chefe da GeForce Now da NVIDIA testemunhou os avanços que os jogos em nuvem estão fazendo e as versões beta dos jogos da Activision funcionando na plataforma.

Com o tempo, descobrimos que nos aproximamos cada vez mais da qualidade de jogar localmente. Nossos servidores de jogos na nuvem são mais potentes do que os consoles, portanto, podemos executar taxas de quadros mais altas e adicionar mais efeitos visuais.

Apesar de trabalhar com um contato aparentemente favorável na Activision Blizzard, as versões oficiais dos jogos que estavam sendo testadas nunca chegaram à plataforma GeForce Now, deixando uma oportunidade para os advogados da Microsoft recorrerem aos acordos que a empresa elaborou para trazer oficialmente os títulos da ABK para o serviço de streaming da NVIDIA.

Especialista em economia contesta dados de CEO da Playstation.

Em seguida, a Microsoft trouxe ao palco sua própria especialista em economia, a Dra. Elizabeth Bailey, que explicou a posição da Microsoft nos jogos para celular como sendo cerca de meio por cento dos cerca de 70 por cento que ocupa em todos os jogos. Bailey também refutou uma afirmação de Ryan de que os jogos FPS, como CoD, são mais jogados nos EUA. Usando a telemetria fornecida pelo PlayStation e pelo Xbox, que mostra que os níveis de jogo de CoD são semelhantes em todo o mundo. Apesar dos modelos apresentados, Lee também teve acesso aos dados de telemetria, mas aparentemente optou por não incluí-los em sua análise.

O sucesso de CoD no Nintendo.

Houve mais conversas sobre a probabilidade de sucesso da Nintendo com ou sem acesso ao Call of Duty no futuro, com Bailey admitindo que a plataforma ainda cresceu cerca de 35% sem o CoD.

Mais uma vez, a FTC gastou tempo alegando suas próprias definições muito restritas, enquanto o testemunho de executivos e especialistas apoiava alguns argumentos, deixando outros com grandes lacunas. Os advogados da Microsoft ainda têm uma batalha difícil em suas mãos durante o quarto dia, com depoimentos do CEO da Activision, Bobby Kotick, do CEO da Microsoft, Satya Nadella, do executivo da NVIDIA, Jeff Fisher, do especialista em economia, Dr. Dennis Carlton, entre outros.

Continuaremos lhe atualizando sobre a batalha judicial Microsoft vs FTC sob a supervisão da Playstation.

Deixe um Comentário

Sobre nós

O Cara do TI é um projeto voltado ao compartilhamento de notícias, resolução de problemas, reviews, games, filmes e tudo o que envolve o mundo da tecnologia.

Newsletter

Subscribe my Newsletter for new blog posts, tips & new photos. Let's stay updated!

© Copyright 2023 O Cara do TI® | Todos os direitos reservados

O Cara do TI
-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00

Adblock Detected

Por favor, nos apoie desativando sua extensão AdBlocker de seus navegadores para nosso site. Nosso site depende das propagandas para se manter vivo. Contamos com sua colaboração